Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lorpa quase-erudito

Escaninho quase tão oco como um ovo que não chocou.

Escaninho quase tão oco como um ovo que não chocou.

Olha-me estas framboesas

Por vezes, um gajo acha que percebe alguma coisa de agricultura e, como um bom crente da Geração Espontânea, julga estar perante um crescimento divino daquilo que aparenta ser uma framboeseira.

 

Então, como respeitador da flora e principalmente com um sentimento de Moisés das Framboesas em mente, um gajo encarrega-se de abrir caminho em volta da planta, bem como de espetar uns galhos à volta da mesma para ajudar no combate à gravidade. E claro, sentindo-me um verdadeiro Moisés, além de libertar caminho ao crescimento das framboesas, tinha que lidar com água. Assim foi, e lá fui fazendo chegar uns litros de água até ao mistério sobrenatural do quintal.

 

O tempo passou, a planta cresceu, trepou, floriu e, finalmente, começaram a surgir as benditas framboesas. «Incrível, é mesmo uma framboeseira!» (...) «Mas espera lá, não estão a ficar demasiado escuras? Humm».

A primeira colheita presenteou-me com um sabor desapontante, pelo que supus tratar-se apenas de uma tentativa falhada da planta, também tem direito a falhar. Pobrezinha! Afinal de contas, eram apenas os primeiros frutos.

 

Ontem colhi finalmente mais uma mão cheia das ditas cujas e, meus amigos, no que respeita ao sabor, é mais ou menos um limão no corpo de uma framboesa! Que coisa amarga, credo!

Agora, das duas uma, ou eu tinha provado outra coisa que não framboesas (porque eram bem mais doces que isto), ou saiu-me outra planta na rifa, que usa a framboeseira como disfarce. Saber lá se não estou perante um espécime venenoso que me invadiu a propriedade com intuito de apoderar-se da mesma. Se for o caso, informo que este post foi escrito ontem à noite e programado para hoje de manhã. Portanto, não havendo mais notícias minhas, já sabem que da minha parte houve um Goodbye, cruel world.

 

Para finalizar, deixo uma foto do lanche. Até ao final do dia edito o post e ponho também uma foto da planta, na esperança de existir por essa blogosfera alguém entendido na matéria, qual esclarecedor de mistérios. E claro, que com todo o direito, me chame nabo.

 

framboesas

 

P.S.: Tem melhor aspecto que sabor, acreditem!

 

framboeseira

Cá está o tal edit que refiro em cima. A imagem não é a melhor, foi tirada à pressa. Mas que me dizem, temos ou não temos framboeseira? Quero acreditar que sim, saiu foi um espécime de frutos amargos. Não se pode ter tudo.

29 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Citação da semana
When you have exhausted all possibilities, remember this: you haven't - Thomas Edison
Acompanha no facebook
Armado em fotógrafo
Malta ludibriada
Mesa de cabeceira

Manda vir com o lorpa
lorpaquaseerudito@gmail.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D